Como ir ao Cristo Redentor – Hoje vamos ensinar a chegar no Corcovado!

Dois milhões de turistas visitam a Estátua do Cristo Redentor anualmente. Intitulado como uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o monumento está situado no Morro do Corcovado, dentro do Parque Nacional da Tijuca, no coração do Rio de Janeiro.

Existem diversas maneiras de visitar o Cristo. Tudo depende do tempo e dinheiro que você está disposto a investir.

Aqui vou descrever todas as maneiras que você pode chegar no corcovado, podendo ser de carro particular, táxi (ou uber), van, trem, ou então contratando um pacote turístico com uma agência de turismo.

1) Carro Particular

Saindo de Copacabana, você pode tomar 4 caminhos diferentes. Dependendo da localização do seu hotel vale escolher um caminho, ou outro.

Para aqueles que estão hospedados no final de Copacabana (entre os postos 4 e 6) vale a pena seguir o caminho pelo “Corte de Cantagalo” até a Lagoa Rodrigo de Freitas e seguir em direção ao Túnel Rebouças. Após passar a primeira galeria, virar a direita (sentido Cosme Velho) e subir direto até o Parque Nacional da Tijuca.

Para os que estão hospedados no começo de Copacabana (entre os postos 1 e 3), vale a pena sair pela Avenida Princesa Isabel e a partir daí, você tem 3 opções, podendo subir por Botafogo até o Tunel Rebouças; pela Glória, passando pelo bairro de Santa Teresa; ou então por Laranjeiras, seguindo também em direção ao bairro do Cosme Velho.

Vale lembrar que ao escolher essa opção, você deve ir cedo, pois não há um estacionamento oficial para carros particulares, portanto os primeiros que chegam ao Parque, “estacionam” o carro na subida de acesso à Estação Paineiras (local onde compra os bilhetes para visitar o monumento).

2) Táxi ou Uber

Valem as mesmas regras do carro particular (dependendo da onde você tiver hospedado, vale a pena tomar um caminho outro), porém tem a vantagem de que você não precisa se preocupar onde estacionar. A desvantagem é que o sinal de telefone (e internet) não é muito bom e você poderá ter dificuldades de chamar um táxi ou uber para voltar pro hotel.

3) Van

A concessão do Parque (Paineiras / Corcovado) disponibiliza o serviço de transfers (com os tickets incluídos) para a visitação do monumento. São 3 pontos de partida: dois na Zona Sul (Copacabana e Largo do Machado) e um na Zona Oeste (Barra da Tijuca)

  1. Copacabana: Praça do Lido (próximo ao Hotel Copacabana Palace, entre os postos 2 e 3).
  2. Largo do Machado (entre os bairros do Flamengo e Catete).
  3. Barra da Tijuca (dentro do Shopping DownTown)

As vans saem com horário marcado e você pode comprar os ingressos antecipadamente pela internet, garantindo o seu lugar e evitando filas.

4) Trem do Corcovado

Este é o modo mais tradicional (e também o mais caro) de se chegar ao Cristo Redentor por conta própria. O Trem do Corcovado (criado em 1884 pelo imperador Dom Pedro ll), parte da Estação de Ferro do Corcovado, situado no bairro do Cosme Velho. O passeio de trem percorre todo o caminho por dentro da Floresta da Tijuca e dura em torno de 20 minutos.

Esta opção você também deve comprar antecipadamente (pela internet ou em algum ponto físico – pontos de informações turísticas ou correios – espalhados pela cidade) para garantir o embarque na hora desejada e evitar pegar filas. Não se atrase, pois se você perder o horário do seu trem, terá que comprar um novo bilhete.

5) Pacote turístico com uma agência de turismo (Cristo + City Tour)

Sem dúvida, esta é a opção mais completa (e mais confortável) de todas. Você não precisa se preocupar onde vai estacionar o seu carro, em chamar um táxi ou uber e nem se preocupar com o sinal de telefone e internet para voltar pro seu hotel. Além de ter total segurança ao estar acompanhado de um guia de turismo, ele irá te passar todas as informações (e curiosidades) sobre o monumento.

A agência te busca no hotel no horário marcado e após a visita ao Cristo Redentor, você ainda ganha um City Tour passando por quatro pontos turísticos famosos da Cidade Maravilhosa: Estádio Maracanã, Sambódromo (Av. Marquês de Sapucaí), Catedral Metropolitana São Sebastião e por último, a Escadaria Selarón. (duração de 4h – 5 horas).

Caso desejar, você pode incluir o almoço (buffet livre em churrascaria) e a visita no Pão de Açúcar, contratando o City Tour Completo (duração de 8h – 9 horas)

A gente aqui do Abaré teve o prazer de fazer o City Tour no Rio de Janeiro com a S2RIO, o Guia Guilherme foi quem nos deu toda essa informação aqui do post e agradecemos muito a ele, já que sem ajuda dele não poderiamos ter ajudado tanto a vocês, além de ter dado várias outras informações legais da nossa Cidade Maravilhosa

Como chegar ao maracanã?

Olá pessoal, ficamos um bom tempo sem escrever mas estamos voltando com tudo!

O Estádio do Maracanã é o ícone do futebol brasileiro. Construído em 1950 para receber a final da primeira Copa do Mundo da FIFA, o estádio (na época) tinha capacidade para aproximadamente 200 mil visitantes.

Após sediar inúmeros eventos esportivos internacionais (Pan Americano em 2007, Copa do Mundo da FIFA em 2014 e Jogos Olímpicos em 2016) o estádio passou por inúmeras reformas e agora pode receber apenas 78 mil espectadores.

O Estádio que já foi o maior do mundo, hoje não se encontra nem entre os 10 maiores, porém está de cara nova, mais sofisticado e mais confortável, para que o espetáculo seja melhor apreciado.

Com cadeiras retráteis e espaços para cadeirantes, o Estádio foi todo reformado e conta com mais acessibilidade e dispõe de espaços de visita no saguão principal, tribuna de honra, espaço maracanã mais, tribuna de imprensa, vestiários, sala de entrevistas e até mesmo o banco de reservas.

Para se chegar até o Maracanã, existem 4 opções: metrô, táxi, ônibus ou agência de turismo.

É importante lembrar o estádio está FECHADO PARA VISITAS, podendo entrar somente para assistir os jogos de futebol, porém parece que nesse ano de 2017 vamos ter novidades na administração do mesmo e ele reabrirá, estamso na torcida, afinal é um pecado o nosso “Maraca” fechado, sendo que ja chegou a ser o segundo ponto mais visitado do Rio, passando inclusive o Pão de Açúcar!

Vamos ao que interessa… Como chegar ao maracanã?

1) Chegando de Ônibus

Saindo de Copacabana, você pode pegar um ônibus na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, qualquer uma dessas opções: 433, 455, 457 ou 464.

Não é uma opção muito vantajosa, pois o ônibus da uma volta muito grande pelo centro, e a viagem pode durar de 1h a 2 horas.

2) Metrô – sem transito!

Em copacabana existem 3 estações de metrô (Linha 1), porém nenhuma delas vai até a Estação Maracanã (Linha 2). Você terá que fazer uma baldeação (troca da linha 1 para a linha 2) entre as estações de Botafogo e Central).

Apesar de ter que fazer baldeação, é melhor do que ônibus, pois é uma forma mais tranquila e segura, além de fugir do trânsito da cidade, tornando o trajeto mais rápido. A Estação de metrô Maracanã fica em frente ao estádio, sendo necessário apenas descer uma rampa.

3) Táxi ou Uber – Conforto na hora de chegar no Maracanã!

Opção para quem está com o orçamento mais folgado. Neste caso (saindo de Copacabana) você pode pedir para o motorista seguir pelo Túnel Rebouças (pra que tiver hospedado entre o Posto 4 e 6), ou então pelo Túnel Santa Bárbara (pra quem tiver hospedado entre o Posto 1 e 3).

4) Agência de Turismo – Passeios Guiados!

Esta opção pode se encaixar de três maneiras e pode ser favorável ou não.

Opção 1: visitar o estádio para assistir um jogo de futebol

Ótima opção para quem quer assistir um jogo de futebol com conforto e segurança. Você não precisa se preocupar em comprar seu ingresso, e muito menos de como chegar até o estádio. Nós providenciamos tudo para que você aproveite o jogo, e o nosso guia de turismo irá te acompanhar e dar todas as informações / instruções necessárias.

Opção 2: visitar o estádio somente do lado de fora, incluindo o City Tour Completo:

Você pode visitar o Estádio Maracanã contratando o pacote de uma agência de Turismo, que inclui outros atrativos turísticos e fazer um “City Tour”. Este city tour leva em torno de 8h e inclui varias visitas na cidade, uma delas, o nosso Maracanã!

Fonte de algumas informações: https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%A1dio_do_Maracan%C3%A3

Site Oficial do Maracanã

 

 

 

 

 

 

4 coisas que aprendi sobre a Austrália

Viagem é legal quando aprendemos coisas novas, certo?

Vamos para fora, viajamos para uma terra estrangeira, ouvimos coisas que não entendemos, cheiramos coisas que cheiram, bem, diferentes e, claro, vemos coisas desconhecidas. Mas pelo menos para mim, essa é a beleza da viagem. Eu não consigo compreender as pessoas que viajam na esperança de encontrar as mesmas comodidades, luxos e familiaridades de casa na estrada. Pessoalmente, eu conto como um grande fracasso se eu não tirar uma lição ou aprender algo novo durante a viagem. Às vezes, essas lições são pequenas como aprender uma nova palavra ou frase em outra língua, às vezes elas são mais profundas como a importância de ir com o fluxo e estar aberto a tentar algo totalmente novo e desconfortável.

Assim que eu pisei no avião para Sydney, Austrália, eu sabia que esta seria uma viagem para aprender e ganhar experiências novas. E eu que me orgulho de estar sempre aberto a novas experiências e de ser apaixonadamente curioso sobre, bem, todos os lugares e tudo. Estava completamente preparado para quebrar estereótipos, aprender coisas novas e me familiarizar com uma parte do mundo que eu estava esperando conhecer melhor, e assim o foi.

E deixe-me lhe dizer, depois de morar fora, eu aprendi sobre muita coisa, principalmente sobre mim. Então, após cuidadosa deliberação, alguns erros e momentos de abertura dos olhos, aqui vou compartilhar com vocês 4 coisinhas só, das inúmeras que posso continuar mais para frente, coisas que eu aprendi sobre a Austrália, algumas mais profundas do que outras, algumas mais engraçadas do que outras, mas todas experiências de iguais importância.

1 – Austrália é muito grande

 

Obviamente, que bastava eu olha um mapa para, como o acima para eu ter essa constatação. Entretanto, quando se está lá você consegue ter a dimensão do que realmente é o país. Aqui não me refiro só ao espaço geográfico e sim, a diversidade que a Austrália nos proporciona. Lá existem milhares de espécies tanto animais, quanto vegetais que só existem lá, além de florestas, praias, acidentes geográficos bem particulares do país. Tudo isso faz você respirar a diversidade de uma maneira, que o Brasil também nos faz, porém por se tratar de uma viagem acaba ficando bem mais nítido para nós.

2 – Como não comer Vegemite

Você sabe o que é Vegemite? não? É uma pasta amarga que os australianos comem sempre e eu como sempre procuro emergir na cultura local, isso inclui os hábitos alimentares. Dessa forma sempre topo experimentar coisas novas. Então, quando um Vegemite apareceu na minha frente cai para dentro e esse foi justamente o problema. Eu fiz tudo errado, taquei no pão como se fosse uma pasta qualquer e comi, erro fatal, não consegui tirar aquele gosto da boca por muito tempo. Somente depois que fui descobrir que você deve passar manteiga no pão primeiro e depois uma pequena camada de Vegemite, assim que o australianos comem essa incrível iguaria, ai então realmente fica até gostoso! Mas ainda prefiro a maior descoberta culinária dessa viagem: o biscoito Tim Tam!

3 – Toda a “Austrália está tentando matá-lo”, isso não é exatamente verdade

Claro, não pode ser negado, que existe um monte de animais perigosos e potencialmente letais na Austrália, como: grandes tubarões branco, crocodilos de água salgada, cobras, peixes e aranhas ultra venenosos e até plantas, sim. No entanto, eles (todos) não estão em todos os lugares preparados para pegá-lo desprevenido e matá-lo. A maioria dos australianos nunca encontra qualquer uma dessas criaturas mortais, então estatisticamente falando a chance de você encontrar cara a cara com eles também é muito baixa, a menos que você vá visitar lugares como Hartley’s Crocodile Adventures onde você pode alimentar crocodilos! Então relaxe, fique atento mas nem tudo na Austrália quer te matar, como você ver a quantidade de coisas a se fazer na Austrália aqui.

4 – Palavras Australianas

Sim, os australianos falam inglês. Entretanto, eles falam da maneira deles, assim como em todos os lugares do mundo a língua se mistura com a cultura, tornando cada país do mundo com uma língua própria, por mais parecida que ela seja de outros lugares. Na Austrália eles possuem palavras em inglês, que só existem por lá. Se você for na porta dos banheiros do restaurante Outback aqui no Brasil, você verá as palavras “Sheila” em vez de “Woman” para mulheres e “Bloke” em vez de “Man” para homens. Existem várias outras desse tipo por lá, fique ligado então.

O que fazer com apenas 1 dia em Singapura!

Fala galera, hoje vou falar para vocês sobre minha ida a Singapura. Para quem não sabe, Singapura é uma cidade-estado localizada na ponta sul da Malásia. Estive por lá de passagem, quando fui visitar o Sudeste Asiático, tive uma escala de apenas 1  dia por lá. Como não tinha muito tempo, escolhi um local que dava para eu ter uma grande noção da cidade, nada melhor que um lugar bem alto.

Lá fui eu para o Marina Bay Sands!

Marina Bay Sands

O Marina Bays Sands, é um hotel mega luxuoso que fica na cidade, acoplado a todo um centro comercial você pode ter mais informações aqui. Uma coisa que eu percebi e você pode ter a foto como exemplo, em Singapura, não existe prédios “comuns”, a maioria das construções são feitas de uma maneira diferente e feitas para impressionar. No caso deste hotel, além de serem três torres das mais altas da cidades, elas são unidas por um parque de lazer, conhecido como Sky Park, no formato de uma prancha de surf. É nesse lugar que se encontra a famosa Infinity Pool, ou piscina infinita em português. Você não sabe do que se trata? Da uma olhada abaixo:

Sim, aquela piscina que parece que vai cair lá em baixo.

Ir até o Marina Bays Sands, foi a escolha mais acertada que fiz como ponto único para se ver na cidade. As torres são bem altas, e você consegue ter todo um Panorama de Singapura e suas construções ultra modernas:

Sim, é um estádio de futebol dentro da água que você está vendo. Como eu disse, não poder ser “normal” a construção em Singapura.

Além da vista e da Infinity Pool, o complexo possui um Shopping onde pude almoçar e ainda em frente ficava outro ponto turístico da cidade, os Jardins Supensos:

Então, se vai a Singapura e tem pouco tempo para conhecer a cidade, não tenha dúvidas. Visite o Marina Sands Bay!

Até a próxima!

Site oficial do Governo.

Saiba tudo sobre a Austrália parte 3: Algumas maravilhas desse país!

Lindas paisagens, vida selvagem exótica e comida incrível foram as coisas que me levaram a querer ir para Austrália, quando decidi ir morar por lá. Como já falamos por aqui de alguns lugares incríveis no estado de New South Wales, nesse post de hoje, voltaremos a falar da maravilhosa “Aussie Land”. Entretanto, dessa vez, vou listar algumas, entre várias outras, maravilhas espalhadas pelo país que não estão no nosso post anterior sobre New South Wales.

Vamos nessa!

A Grande Barreia de Corais

Esta é uma delicada peça azul coral da natureza que dizem ser vista até do espaço e é a maior estrutura viva do mundo. Foi considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, e é, sem dúvida, uma das coisas mais interessantes que já vi. A Grande Barreira de Corais é o lar de diversas espécies marinhas. Ele acompanha toda a Costa Leste Australiana, mas o principal ponto de apreciação dessa beleza é a cidade Cairns. Lá você poderá fazer vôos panorâmicos sobre a barreira, além de mergulho, snorkeling e vela que são todas atividades muito populares.

Lago Hillier

Sim, não é defeito da foto ou coisa parecida, a água desse lago é rosa. O pior é que ninguem ainda conseguiu identificar o motivo disso, porém a água é rosa permanente, mesmo que pegue através de um recipiente. Essa maravilhoso e diferente lago fica localizado no arquipélago de Recherche, na Austrália Ocidental, próximo a Perth. É bem longe da costa leste do país. Mas se você for para Perth, vale a pena sobrevoar o lago que parece um chiclets gigante.

Fraser Island

Quando dizem que na Austrália tem de tudo. Essa é a maior ilha de areia do mundo. Fica bem próximo de Brisbane, é um local ideal para fazer acampamentos. A ilha se tornou em 1992 patrimônio mundial da UNESCO.

Os Doze Apóstolos

Um dos lugares mais bonitos do planeta, localizado na estrada mais bonita do mundo a Great Ocean Road, que margeia o litoral Sul da Austrália saindo de Melbourne. Embora apenas oito apóstolos sejam deixados em pé, o nome permanece. As estruturas gigantes, naturalmente formadas, criam uma visão que fica gravada em sua mente para a eternidade. Assim como todo o percurso para chegar até eles.

Uluru

Uluru é o monolito, segundo maior do mundo, localizado no meio do deserto vermelho australiano. Essa região no centro do país possui muita identificação com a cultura aborígene, pois o monte é sagrado para esse povo, além de ser linda. Dependendo da época do ano e da hora do dia, essa pedra troca de cor.

É a Austrália guarda grandes maravilhas, além de retornar parte dos impostos quando voltar de lá, leia mais aqui!

Uma grande dica, para a galera que está indo é a Agência Student uni Travel, que nos auxiliou bastante por lá, possui passeio saindo de Sydney para alguns desses lugares, confira: Melbourne com Uluru

 

 

Saiba tudo sobre a Austrália parte 2: Porque ir para New South Wales

Quando as pessoas pensam em aventuras emocionantes e atividades ao ar livre, tudo isso com uma dose de adrenalina, misturadas com belas praias e vida selvagem extraordinária, eles pensam em um lugar – Austrália. É um daqueles países que consegue a dicotomia entre um estilo de vida descontraído na praia, e uma cultura de ousadia de aventura e esportes radicais. E se há um estado que deve estar em cada lista de viajantes é New South Wales. Uma mistura de charme do velho mundo e vibe moderna da cidade.

Ao explorar New South Wales, você vai descobrir a história colonial, e património cultural e tradições de uma das mais antigas culturas aborígenes do mundo. Junto com algumas das paisagens mais deslumbrantes da Austrália e famosos parques nacionais. Tudo isso combinado ao glamour da vida da cidade.

Então, uma vez que você já fez suas malas, estabeleceu seu seguro de viagem indo para a Austrália e está pronto para entrar naquele avião, você pode querer considerar parar por New South Wales em seu caminho! Já citei a Egali, que foi a agência que me ajudou bastante quando estive por lá.

Sydney

É nesse estado que está localizada a maior e mais famosa cidade da Austrália. Uma cidade que representa o país de todas as formas. Cosmopolita, mistura um grande centro urbano com toda uma paisagem natural que inclui: praias deslumbrantes, grandes parques e diversas trilhas. Centro da cultura local, desde a presença de registros aborígenes até antigos assentamentos ingleses. Certamente uma parada obrigatória para quem vai ao país, é preciso tirar uma foto no belo Opera House (Foto acima) e na Harbour Bridge.

Kiama Blowhole

A partir do famoso Kiama Blowhole, com praias deslumbrantes para caminhadas e pesca excelente, Kiama é uma fuga maravilhosa à beira-mar. A cidade está na espetacular rota da Grand Pacific Drive touring ou pode ir de trem a partir de Sydney ou Wollongong ao longo da bela costa sul de New South Wales. Uma das atrações mais populares é o seu blowhole – uma formação de rocha natural que jorra água do mar 20 metros ou mais para o ar. Dito isto, há muitas coisas mais intrigantes e espetaculares para se fazer e ver em Kiama, a começar pelas belíssimas praias para a uma emocionante caminhada.

Montanhas Nevadas

Você pôde coçar suas cabeças com este: neve na Austrália? Mas isso é exatamente o que é! As montanhas nevadas são um lugar fabuloso para experimentar o inverno australiano, e o destino mais popular é a estação de esqui de Perisher – a maior no hemisfério sul. Situado no meio do pitoresco Kosciusko National Park, Perisher tem quatro parques de resort e 47 elevadores, e terreno que atrai os melhores esquiadores do mundo e snowboarders, bem como entusiastas locais que viajam para desfrutar da neve. O período de principal de esqui é em julho e agosto, com a estação oficialmente funcionando do segundo fim de semana em junho ao primeiro fim de semana de outubro. Mas você também pode viajar para as montanhas durante o verão para desfrutar de caminhadas, ciclismo ou pesca.

Floresta de Minnamurra

Depois de passar algum tempo no mar ou nas montanhas, você pode apreciar uma mudança de cenário. Por isso, recomendamos conhecer a Floresta Minnamurra em Budderoo National Park. Fica apenas 15 minutos de Kiama, na sombra do Great Dividing Range. Esse deslumbrante parque nacional apresenta trilhas para caminhadas e cachoeiras espetaculares, incluindo Carrington Falls, que fica 15 minutos a pé da área de piquenique e que leva você a vários mirantes espetaculares. Nellies Glen é um buraco de natação maravilhoso onde você pode ficar sob a cachoeira. Na floresta é provável que você veja alguns animais  típicos da Austrália, principalmente os wallabies e uma série de aves que fazem de Minnamurra a sua casa. Há um calçadão elevado que serpenteia em direção à escarpa e em toda Minnamurra Rivulet, levando você direto para a floresta tropical de 400 hectares. É um dos melhores lugares para entrar em contato com a natureza e ver um conjunto muito diversificado de flora e fauna.

Blue Mountains National Park

Outro parque natural impressionante, que possui belezas naturais estumpendas. O ideal é ir de trem até Katoomba saíndo da Central, em Sydney, o que leva cerca de 2 horas de viagem. Lá você irá encontrar uma vastidão de trilhas, cachoeiras e mirantes espetaculares. Além das Três irmãs (foto), o parque apresenta inúmeras outras possibilidades assim como a floresta de Minnamurra.

Port Stephens

 

A baía de Port Stephens é um lugar ideal para se acampar ou ir para conhecer a linda paisagem. Lá você poderá encontrar golfinhos nadando livremente, assim como uma grande diversidade de fauna marinha. Fica ao norte de Sydney, com uma facilidade de acesso através do trem.

Uma dica para fazer alguns passeios em Sydney, é a agência Student unit Travel, que nos auxiliaram bastante por lá.

O que fazer em Búzios!

Fala galera, hoje vamos falar sobre o que fazer em Búzios. Para quem não sabe, o nome completo do munícipio é Armação dos Búzios e fica localizado na famosa Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. A cidade é um balneário, famoso por seu charme que mistura a beleza natural com uma cidade cheia de lojas e atividades. Vou listar para vocês algumas atividades imperdiveis na cidade.

Passeio de Escuna

Os passeios saem do Pier da Armação ou da Praia do Canto, no centro de Búzios e tem duração de 3 ou 5 horas. É recomendável, principalmente, para aqueles que não tem muito tempo de ir em todas as praias de Búzios. Pelo passeio, você irá em algumas das principais praias, poderá mergulhar e aproveitar para tomar uma bebida a bordo, enquanto aproveita a linda paisagem da cidade.

Ir a praia da Azeda e Azedinha

Na minha opinião, são as melhores praias de Búzios, se você vai a cidade tem de ir até a Azeda. Ficam localizadas na ” ponta” da cidade, próximo ao centro, uns 15 minutos a pé, que você aproveita para ver a linda Orla Bardot pelo caminho. Se não quiser caminhar, pode chegar até a praia através do Táxi Boat, que são barcos que ficam pelas praias de Búzios para se locomover entre elas.

Andar de Stand Up Paddle na Ferradura

A praia da Ferradura é mais distante do centro da cidade, porém é um lugar bem interessante para praticar algumas atividades, como banana boat, pedalinho, entre outras. Dessas a que eu mais indico, é dar uma volta de SUP na Ferradura, vale muito a pena.

Rua das Pedras

No Centro de Búzios, fica a famosa Rua das Pedras. Com lojas e restaurantes para todos os preços, lá é possível encontrar váriados tipos de comércio. Entre em uma das galerias que dá para a praia da armação que fica paralela a rua das Pedras para uma vista deslumbrante da praia a noite. Os restaurantes e bares são de uma variedade impressionante. Alguns sobrevivem ao tempo, outros, mudam a cada ano. Além disso, para os que gostam da vida noturna, encontrará as famosas boates de Búzios, Pacha e Privilege.

Pôr do Sol

Você não pode deixar de ver o por do sol em Búzios, principalmente, na Orla Bardot.


Outra coisa bem legal são os festivais que tem em Buzios, eu fui em um gastronômico bem legal! aqui vc consegue ver mais do festival que eu fui =]

Dicas para quem vai curtir o Carnaval em Salvador!

Fala galera, hoje vou falar para vocês um pouco sobre uma das maiores festas do mundo, o Carnaval de Salvador. Tentarei passar um panorama sobre a festa e dar algumas dicas para você que esteja indo chegar preparado para curtir.

Vamos lá:

Como funciona o Carnaval de Salvador:

Existem três maneiras de se curtir os blocos em Salvador:

Bloco

Para ir de bloco você terá que comprar o abadá, uma camisa estilizada do bloco (cada um tem a sua), você pode comprar pela internet, onde os sites mais famosos são: Folia Bahia e a Central do Carnaval ou poderá adquirir na cidade nos mercados negros que tem por lá, que vai depender de sua habilidade de negociação. Com o abadá, você terá acesso a área marcada com cordas que fica em volta do trio elétrico onde estará o artista. O caminhão irá se mover e você vai atrás dentro da área especial pelo circuito do dia (há dois principais: o Barra – Ondina e o Campo Grande). Pode-se comprar bebidas no carro de apoio, que vem atrás do carro principal (que é o que leva o cantor), ou dos vendedores ambulantes que andam ao lado da corda ou dentro do bloco. No carro de apoio também há banheiros. O circuito dura aproximadamente de quatro a seis horas.

 

Pipoca:

A pipoca nada mais é do que um bloco democrático e imenso, sem cordas nem barreiras. Para participar da pipoca, não precisa de abadá, e você pode ir andando ao lado dos blocos se conseguir. Alguns blocos são patrocinados pelo governo e saem sem corda e são muito interessantes. Você também pode ficar parado em algum local na rua só vendo os trios passarem, um local bem famoso para isso é o Beco de Ondina, mas também existem outros. A parte interessante da Pipoca é que você segue o bloco que quiser e se enjoar poderá sair e procurar outro ou parar.

Camarote:

Os camarotes são montados por todo o percurso, são lugares fixos, que possuem toda uma infraestrutura impecável. O acesso aos camarotes assim como os blocos são por meio de abadá, mas dessa vez tem uma pulseira também que te dá direito a distintas coisas dentro do camarote (open bar, comidas, massagem, etc) depende do camarote comprado. Quando cada trio passa em frente ao camarote, ele dá uma paradinha e toca umas músicas em frente.  Quando o trio segue seu rumo na avenida, o camarote coloca suas próprias músicas que depende do DJ e alguns chegam a ter shows de artistas famosos. O camarote é como se fosse uma grande boate montada no meio do carnaval de Salvador, onde você também pode ver os trios quados esses passam em frente. Quem está no camarote pode descer pra rua e voltar sempre que quiser, mas precisa ter o abadá.

Dicas:

 

 

Use tênis. Lembre-se que você vai literalmente pular Carnaval – a expressão nesse caso faz todo o sentido. E vai levar pisões, vai passar por terrenos irregulares, pode até subir em morros ou acabar na praia. Poupe os seus pés e dedos de pequenos acidentes. De preferencia para algum tênis que esteja velho e surrado, mas que conserve algo de amortecimento. Isso é bastante importante e pode fazer toda diferença no seu carnaval

Use “dolareira’’. Nada mais é que uma pochete pequena, daquelas invisíveis pra colocar dentro do shorts ou bermuda. É ali que você vai colocar seu (pouco) dinheiro e quem sabe aquele celular velho que, se for furtado, você não vai chorar tanto e levar seus documentos. A doleira é essencial para te tranquilizar, ficar preocupado com o que está o bolso durante toda a festa não rola.

Leve o mínimo possível. Leve em sua doleira somente o necessário, um documento de indentificação, o dinheiro justo para se hidratar e comer , o que é extremamente necessário e algum celular antigo só para se comunicar. Se não tiver, marque ponto de encontro com os amigos para caso se perca.

Roupa. Que sejam confortáveis, leves e bem ventiladas. Estamos no verão e a temperatura dentro do bloco aumenta e muito!

Rua ou camarote. São as duas maneiras de participar do evento, com suas vantagens e desvantagens. O camarote é bem mais confortável, porém você fica limitado a um espaço fechado, enquanto na rua você está livre para curtir o evento e assim mais desconfortável e perigoso.

Banheiro. Você vai ver banheiros químicos na lateral da rua, já na calçada. Durante a festa, se a cerveja for muita, sempre se pode ir ao bloco de apoio ou dar uma escapada às ruas laterais aos vários bares e lanchonetes..

Saiba tudo sobre a Austrália parte 1: The Bondi to Coogee Coastal Walk

Fala galera! Aqui quem vós fala é o Juninho, e eu tive o prazer de morar durante 6 meses em um dos melhores países do mundo, depois do Brasil é claro, a Austrália. Vou começar a postar algumas dicas sobre esse país aqui no blog, esse é só o primeiro. Morei esse tempo em Sydney, a maior cidade do país, onde eu pude me sentir em casa e muito bem assessorado pela Egali, pois, a cidade é muito parecida com o meu Rio de Janeiro, afinal misturar trilhas, montanhas e praias com o urbano, não são todas as cidades do mundo que conseguem nos promover. Mas hoje, não vou falar da cidade como um todo, gostaria de mostrar para vocês uma das trilhas mais famosas e bonitas, que todos devem fazer ao chegarem na cidade. Essa é a Bondi to Coogee Coastal Walk, é o ponto de entrada para quem quer conhecer o belíssimo litoral australiano. Essa trilha, como o nome diz, liga os bairros de Bondi e Coogee ambos no litoral leste de Sydney, que é uma região muito turística da cidade.

Como chegar:

 

O melhor é ir de transporte público, até porque você vai iniciar em um bairro e voltar por outro. Se for para Coogee ou para Bondi, existe a opção de ônibus que deixam direto na praia e voltam também. Para bondi ainda existe a opção de ir de metrô até a Bondi Junction e de lá pegar um ônibus ou ir andando até a praia, o que leva uns 10 minutos.

 

 

A Caminhada

 

A trilha pode ser iníciada tanto por Coogee, quanto por Bondi, eu tive tempo suficiente para fazer pelos dois lados, e não faz muita diferença, o que é interessante de se iniciar por Coogee é o fato de terminar em Bondi e poder depois conhecer o bairro mais famoso da cidade, com várias opções de lugares para comer. Durante o percurso o que realmente importa é o que será visto. Os dois bairros possuem as praias mais famosas da cidade, Bondi inclusive é uma das praias mais famosas de toda a Austrália. O caminho todo possui 6km, mas a caminhada é bem leve, com alguns pontos de súbida com escadas. Está toda inserida no perimetro urbano e você passará por 5 bairros: Coogee, Clovelly, Bronte, Tamarama e Bondi. A média de duração é de 2 horas para fazer todo o caminho, mas também pode ser feito por etapas, visto que você consegue começar e parar a trilha em cada um desses bairros, que são de fácil acesso através de ônibus.

 

Pontos de Interesse

 

As praias são os principais pontos de interesse, esses bairros que você passará são os mais próximos do centro da cidade e possuem bélissimas praias, algumas pequenas como Clovelly, outras mais movimentadas como Tamarama. Outro ponto interessante próximo de Coogee é Gordon’s Bay, um lugar calmo e muito famoso para prática de mergulho e Stand Up Paddle. Por toda a costa você também encontrará piscinas públicas de água natural, se não quiser cair no mar, como na foto acima. Porém, o que mais impressiona nesse caminho são as vistas que terá ao longo de todo o percurso. Tanto as enseadas das praias, quanto o litoral rochoso australiano promovem lindos visuais. E talvez a maior curiosidade que será encontrada pela trilha é o Waverley Cemetery (foto abaixo), isso mesmo, tem um cemitério no meio da trilha na encosta, que fica de frente para o mar, onde estão enterrados diversas personalidades australianas famosas. Aparentemente, lá eles gostam de passar a eternidade com grandes visuais e perto do mar, mas quem não gostaria né?

 

Definitivamente, se você vai a Sydney, essa caminhada é obrigatória!

Para ir a Austrália, tire suas dúvidas no site do Governo!

Nos vemos por ai…

O que fazer em San Gil, Santander, Colombia, Esportes Radicais e muito mais!

Galera, muito sério, é do baralho… sá parada é top de mais e o melhor, barato a véra!
Tem que visitar logo, não dou 5 anos pra virar ponto turistico famosinho de modinha e os preços dispararem, estão investindo pesado em estrutura e ta ficando bem legal!

Fui com uma ex-namorada e mesmo de “namoragem” gastamos muito pouco, o que quem namora sabe, é bem mais difícil, segue lista de custos =P

Hospedagem

Hotel Alcantuz, foi R$120 – R$60 pra cada a noite (com ar, suite)
Tinha Hostel por R$20-30 anoite

Se ficar perto da praça principal ta ótimo (eles chamam de parque)

Almientação

Almoço R$40 – pros dois, incluindo bebida entrada e sobremesa no restaurante mais caro de la
Janta R$30 – pros dois, incluindo entrada bebida e sobremesa, num restaurante chamado Paladino que fica na praça principal

Gastei em média R$30 reais por dia de alimentação e comendo muito bem, quem quiser conomizar mais, capax de conseguir gastar uns R$10-15 por dia

Passeios, agora vem o “absurdo”

Parapente R$80
Bung Jump 50m R$50
Bung Jump 70m R$70
Exploração de caverna R$30
Trilhas (R$10-30)

Eu com R$400 reais fiz tudo menos rafting pq precisava de mais gente e eu tinha pouco tempo, mas era super barato também R$30 por pessoa +-, minimo de 4 pessoas

Sobre os esportes radicais, o Parapente no Canion(R$180) é tipo TEM QUE SER FEITO e o a “exploracion de cueva”, em portugues são tipo cavernas, algumas nunca encontraram o fim, outras entra por um lado e sai do outro, maioria tem rios por dentro , é muito maneiro, abaixo ponho umas fotos

Indico a Cova da Vaca que “não tem fim”, mas é do balacobaco(gente a quanto tempo nao escutava isso)

a Cova do Indio também é bem legal, em ambas tem que se molhar, na da Vaca tem uma hora que tem que mergulghar e passar por baixo de uma parede e no Indio tem que pular na agua no final, ou descer uma escada e cair na agua de qualquer forma.

Outras coisas a visitar

Shopping San Gil, tem uma area descoberta que passa uns filmes as vezes de graça, bem legal
Parque San Gil, um parque tipo um ardim botanico, ms bem abandonado, o que torna ele ate mais legal
O Canion eu vou deixar pra outro post… tem que falar melhor dele, o parque la do Canion da de 1000 a zero no nosso pao de açúcar e outros do Brasil, tanto em estrutura, quanto em preço, atendimento e atividades

Como Chegar em San Gil?

Avião até Bucaramanga ou Bogotá

Bom e velho Busão eu fui de Bucaramanga(3h), mas da pra sair de Bogotá(6h) também.